Página Inicial / Listas / Oito fracassos da indústria automotiva brasileira

Oito fracassos da indústria automotiva brasileira

A indústria automotiva brasileira tem uma linda história. Modelos clássicos são até hoje lembrados com o sentimento de nostalgia. Durante essa história, porém, alguns fracassos acabaram acontecendo. Nesta lista elaborada pelo jornal gaúcho Zero Hora, são destacados 8 carros que foram verdadeiros fracassos comerciais.

Troller Pantanal

Um dos carros mais controversos da indústria brasileira. Com a intenção de vender mais de mil unidades por ano, a empresa viu suas apostas se transformarem em fracasso. O lançamento foi feito em 2006, sendo que até 2008, apenas 77 haviam sido comercializadas.

Após comprar a empresa, a Ford tentou fazer um recall e consertar os problemas que envolviam a estrutura. Após análise, desistiram deste processo, devolvendo o dinheiro para os compradores. Especialistas afirmam que os defeitos no chassi eram tão graves, que ele poderia se partir com o veículo em movimento.

Quem preferiu ficar com sua Troller Pantanal, teve de assinar um acordo, tirando qualquer responsabilidade da Ford em caso de acidentes.

troller pantanal

Dodge Polara

Mais de 90 mil veículos deste modelo rodaram pelo Brasil. Diversos problemas, como o motor e o câmbio, eram apontados pelos usuários. A empresa até tentou melhorar o carro com o tempo, foram após a transição da Crysler brasileira para a VW, saiu de linha e tornou-se um carro difícil de ser encontrado pelo país. Pela tradição da Dodge, este é um dos maiores fracassos da história.

polara

Vectra GT

Quando um projeto começa errado, fica difícil fazer ajustes no caminho. O Vectra GT era inspirado no Opel Astra H, tendo várias peças em comum com o Astra nacional. Mesmo com um motor 2.0, acabava sendo um veículo fraco. Seus 128 cavalos de potência não chegavam a ser reais, se perdendo no caminho até as rodas.

A empresa tentou fazer melhorias, porém já era tarde. Foi produzido entre 2007 e 2011.

vectra gt

Lanos Espero – Daewoo

Com grande repercussão quando chegou no Brasil, a montadora Daewoo não conseguiu empolgar com o sedã Lanos Espero, sua principal aposta para o mercado brasileiro. Atualmente, o mercado é tão restrito, que até mesmo colecionadores se afastam deste modelo. Quem comprou, teve grande trabalho para vender.

daewoo

Seat Cordoba – Ibiza

Talvez um dos mais injustiçados na lista, até por não ser um veículo tão ruim quanto os outros. O Ibiza sofreu muito com o aumento dos impostos para veículos importados, sendo que vinham diretamente da Espanha. A pouca compatibilidade de peças também impediu um sucesso maior.

ibiza

Ford Mondeo

Esse foi um modelo que teve planejamento “enlatado”. Após fazer sucesso nos Eua e na Ásia, era aposta certa para o mercado nacional, porém nenhum ajuste foi feito. Podendo servir de inspiração como um sedã de luxo, ele foi importado exatamente como rodava em outros países, fazendo com que seu porta-malas pequeno e carroceria baixa afastassem os consumidores.

Colecionadores afirmam que é praticamente impossível encontrar um que rode e não tenha o para-choque dianteiro arranhado.

mondeo

Ford Courier

Mais um erro da Ford. Tentando emplacar uma sucessora da Pampa, nunca conseguiu agradar. A picape Courier tinha motor 1.3 e 60 cavalos de potência, o que inviabilizava o transporte de cargas pesadas. Esteve no mercado entre 1996 e 2013, um período de tempo grande para um carro que não emplacou.

courier

Lada Laika

Comercialmente não fou um grande fracasso. Sua importação foi feita entre 1990 e 1995, sendo que a venda chegou a 70 mil, algo considerado razoável. Taxistas tinham grande interesse, porém logo perceberam um grande problema: a gasolina nacional não era tão compatível com o carro, fazendo com que a troca do carburador fosse necessária.

laika

Acompanhe a Automotiva no Facebook!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *